Bruno Maia: Por Que Jogar GTA?

Vou iniciar esse meu primeiro POST oficial para o DISCORRA afirmando que a maioria dos dados que utilizarei nos meus textos serão dados empíricos pessoais.

Vou procurar abordar o universo dos games, filmes e nerdice, da maneira que eu achar adequada. Ora falarei aspectos técnicos, ora opiniões pessoais, de amigos, ou de algum comentário legal ou babaca que vi nessa grande rede.

Antes de mais nada, tenho em casa alguns filmes cults e alguns filmes pops. Não constumo assistir nenhum deles com preconceitos.

Tenho um Master System, um Mega Drive, (tive um PlayStation 1, que troquei por um disc-man [gosto pra caralho de música]), um Wii e um Playstation 3. Só jogo o PS3. Tenho, sei lá, cerca de 15 jogos e 90% do tempo eu jogo FIFA (tenho o 9, 10, South Africa, 11 e 12). Os outros, talvez, 10% do tempo que jogo vídeo game, vario entre alguns games. Comprei um, muito famoso, há alguns meses e resolvi jogar só essa semana: o Grand Theaf Auto IV, ou GTA IV. Demorei muito tempo pra ter vontade de jogar, por isso, refleti um pouco sobre isso.

Joguei uma ou duas missões e pensei o quanto essa merda de jogo evoluiu. Alguém ai jogou ou lembra do GTA 2D pra PC?

Eu joguei essa tranqueira e lembro que a maior graça, pra mim, era roubar os carros e deixar atravessados na rua para atrapalhar o trânsito. Mas joguei pouco

Lembrei da versão que estourou e ficou famosa, o GTA III. Foi o primeiro em 3D:

Fala sério.. que evolução!

Lembrei da versão que mais joguei: GTA Vice City (dava até pra andar de moto)

E a só em caráter de comparação/evolução, fica aqui a imagem do GTA IV, primeira versão para PS3 (nota: já foram lançados: GTA I, II, III, Vice City, San Andreas, IV, Liberty City e já há rumores do V).

Nessa análise mental rápida que fiz sobre o GTA, fiquei imaginando o que atrai pessoas a um jogo onde o grande intuito é ser a pior pessoa do cenário (roubar, matar, traficar, estuprar/comer/roubar prostitutas, atropelar velhinhas).

Fiquei pensando que grande parte da galera que joga esse game foi criada em apartamento. Apartamento, não no sentido físico do local, mas é uma galera que não teve acesso a rua e problemas inerentes a esse local.

É sabido que quem teve sua infância/pré adolescência no década 00, perdeu muito na questão de brincadeira e convívio social (não virtual) que a grande maioria da década de 80/90. Seria o GTA um meio de libertação, realizando “travessuras de moleque”? Seria o GTA, sim, um meio de contato com a violência que talvez eu tenha passado e por isso o jogo não me atraia tanto? Freud deve explicar, né?

Trailer GTA V

Escrevi isso na sala de casa, no Macbook, conversando via SMS e via Whatsapp e assistindo ‘Jogo entre Ladrões’ que está passando na Globo (exatamente agora, tava rolando uma puta cena de pegação entre o Antônio Bandeiras e a Radha Mitchell.

@Nomaia (Bruno Maia)

 

Autor: Robson Fioravante

Acerte o ventilador